terça-feira, 24 de maio de 2016

waiting for the sun

Calmos, desatentos e ávidos braços
insistiram-me em segurá-la entre beijos e abraços
e em cada pedaço de curva e olhar de entrelaço
acordei.
em algumas noites acordado, persisti e caminhei.

                                                                                                           (suspirei)

Contido e pensativo, na encruzilhada me deparei
eu sabia o que cada canto me esperava, mas contei até três.
me morder à noite pensando
ou contar tudo de uma vez?

(caminhando)

Soaram as trombetas,
o sol havia chegado.
de emoções, nu
e resto despreparado.

(deitado)

O sono é situacional
vou falando com o travesseiro
o de sempre; convencional
enquanto fico na saudade do teu cheiro

(...)

é, Avenida.
é a vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário