domingo, 4 de maio de 2014

Você, você, você!

Isto é sobre você
Sempre foi sobre você
Você ali, você acolá
Sentada num banco
Ou vendo o tempo passar
E eu, que simplesmente observo
Sempre me pego pensando em você
Você é um dia uma, um dia outra
Você tem olhos bonitos e feios
Tem um corpo alto e esbelto
E as vezes baixo e macio
Você. 
Você sempre tem um jeito de me prender o olhar
E pra quê servem os olhos, se eu quero é te tocar
Eles dizem: 

"Ei João, suas frases não fazem o menor sentido! Cadê a continuidade?"

E eu só digo: 

"Calma, amizade..."

Aí pego meu violão e toco aquele Fá bem bonito
Início aquela música
E paro no meio
Porque me lembra você. 

Aí você diz: 

"..."

E eu digo: 

"Eu quero é adrenalina, meu bem!"

Pois bem, olha só, meu bem
Acho que no fundo mesmo
Esses versos catastróficos 
São sobre eu tentando me achar
E não tentando procurar você. 

Você não é você e nunca vai ser
E o você ideal nunca vai estar ali
Sentada num banco, desolada. 

Isso não é sobre você. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário