quarta-feira, 25 de junho de 2014

Quem tem * tem medo.

Tem remédio pra esquecer
Remédio pra dormir
Remédio pra acordar
Remédio pra não sentir

Aí você abre o microondas
Derruba o remédio
Ele se parte no chão
E leva embora uma esperança de que tudo vai dar certo

Você se ajoelha e agarra com tanta força
Como se sua vida dependesse disso
A força faz com que cortes se abram em suas mãos
E o sangue se espalha sobre o que você mais gostava de fazer

Sangrando e se machucando, você chora
E lá está, no chão de sua cozinha:
Uma poça de esperança de dias melhores
Uma poça de sangue
E uma poça de lágrimas. 

Se levanta, engole o choro, arruma a bagunça e retira os cacos de passado da sua mão

E então toma um remédio para curar seu descuido;
Um para curar sua insanidade;
Um pra curar a dor;
Um pra não morrer;
Um pra parar de chorar;
E outro pra esquecer (não vou completar). 

Paz. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário