quinta-feira, 30 de junho de 2016

Podepá. / Hyperephania

Podepá que às vezes me dava uma loucura súbita e eu saia correndo pelo centro na maior loucura, só pra dar risada.
Hoje eu meio que finjo que existo. Acabei encontrando meu verdadeiro eu e acontece que esse verdadeiro eu é uma mentira. Eu só sirvo pra mentir e gerar desconforto nas pessoas. Infelizmente sempre foi assim e sempre vai ser.
Eu sinto inveja, eu sinto ódio, eu sinto dor. Sou arrogante; não ligo. Rasgo, destruo, machuco. Não sei lidar.
Mas existe um momento em que nós acabamos como personagens secundários da nossa própria vida.

--

Se pudesse voltar no passado, faria tudo novamente. Só faria mais intensamente. É tão fácil reclamar e não agir que a gente se acomoda e acaba não fazendo as coisas do jeito que deveria.
Talvez eu poderia ter corrido mais ou dançado mais. Ter lido e me informado só mais um pouquinho. Não ia matar. Ia só me ajudar.

--

Repito: Já notou como todos os textos tem o "eu, eu, eu"?

Pois bem: hyperephania.

Nunca houve palavra melhor para me descrever.

Nenhum comentário:

Postar um comentário