quinta-feira, 15 de maio de 2014

... E nunca mais usei camiseta estampada com camisa xadrez.

Naquele dia eu estava calmo (eu nem lembro direito de como foi)
E de repente começou a parte que eu gostava.
O fone esquerdo (e apenas o esquerdo) bombava uma declaração (de amor ou ódio) que para muitos era apenas gritaria, mas para mim tinha um quê de especial (já que me identificou em tantas partes da minha mísera vida)
Talvez seja por isso que gosto de músicas em Stereo. 

A minha intenção era chegar e dizer, logo de cara:

"Desculpa, eu demoro pra entender tudo."

... Mas é óbvio que não disse. É óbvio que eu ia dizer "olha que botão estranho" e apontar pra uma vitrine qualquer com um manequim qualquer vestindo uma jaqueta qualquer. 

Aquelas frases soando na minha cabeça, minha incapacidade de conseguir curtir um ambiente fechado, minha síndrome de "estou fazendo tudo errado" e uma dor horrível no calcanhar direito fizeram com que eu ficasse quieto e criasse um clima quase sufocante e desesperados para quem estivesse em volta. 

... Mas é óbvio que não. Ninguém liga.

Resumo da ópera:

"Y'all ask what the fuck I'm doing
I'm releasing anger"

Não é sobre fandom nem nada do tipo. 
As pessoas só não ligam para qual tipo de roupa você está usando a não ser que você seja uma garota muito bonita ou pareça muito interessante. 

Há braços.

Nenhum comentário:

Postar um comentário