quarta-feira, 3 de setembro de 2014

2 segundos

Esse meu intervalo de 2 segundos depois do teu sorriso é para estudar cada milímetro dele e, além de apreciar seus belos lábios, tentar imitá-lo. 
Não é por querer. 
Nesses 2 segundos, consigo imaginar mais de mil cenas e histórias que terminam em um breve e descontraído ar de felicidade sua. 
Quem dera você. 
Quem?
Ah, sim. Sorrir, isso. É estranho não receber um sorriso de volta. 
Tudo o que eu menos quero agora é que você me ache estranho. 
Então eu tento imitar a beleza sem igual do seu sorriso. 
E falho, obviamente. 
Aí então me perco. É nesse momento em que você me vê. E é nesse momento em que me reduzo cada vez mais até desistir e enfiar minha cabeça na água. 
Seria interessante se eu mudasse o tanto que disse que iria mudar. O amadurecimento por idade (já meio refletida pelas palavras que solto por aí - e por aqui) é pouco demais. 
Não é possível que sempre algo deva intervir sobre (ou sob) mim para que eu possa dizer o que penso. 
De qualquer forma, sorria mais. Deixe minha fantasia rolar, ou algo assim...

Nenhum comentário:

Postar um comentário